Tenho um sorriso gengival e agora?

O sorriso é o nosso cartão de visita! Um sorriso saudável e harmonioso marcam a diferença quando conhecemos alguém. O nosso cérebro analisa numa micro fração de segundos se o sorriso de alguém que acabamos de conhecer é belo ou não. E este atributo será também fundamental na primeira impressão que causamos. Também na convivência diária com os nossos semelhantes, o nosso sentido estético regista diariamente a informação sobre a beleza e também sobre a saúde, através da análise consciente e inconsciente do sorriso.

O desejo de exibir um sorriso bonito é inerente à atração pelo belo e harmomioso, o que é inato a todos os humanos. Dentes brancos, corretamente alinhados, com tamanhos proporcionais, exposição de uma gengiva cor de rosa e saudável e lábios bonitos a emoldurar este conjunto de atributos preciosos transmitem beleza e saúde. Lábios, dentes e gengiva devem estar saudáveis e em equilíbrio entre si.

Porém, quando a gengiva apresentada é excessiva (sorriso gengival), o equilíbrio estético pode estar em causa.

É assim fácil conceber a importância da exposição gengival na estética do sorriso.

Linhas do sorrisso com diferentes alturas

Diz a norma que um sorriso bonito é composto por gengiva e dente na “quantidade e proporção certa”. Naturalmente, cada pessoa é única e tem as suas peculiaridades (e ainda bem!), mas diversos estudos de análise estética do sorriso demonstram que os dentes que são considerados “atraentes” apenas mostram entre 2 a 3 milímetros de altura de gengiva. Quando esta medida é ultrapassada, consideramos tratar-se de um sorriso gengival.

A correção do sorriso gengival é possível e deve ser dirigido à causa.

Quais são as causas do Sorriso Gengival?

Os fatores que provocam esta condição são vários e podem ser de origem muscular, esquelético/dentária ou gengival.

Dentes pequenos que não erupcionaram adequadamente, uma gengiva aumentada e/ou inflamada e até a posição maxilar e dentária ou um excesso de movimento dos músculos elevadores do lábio superior estão entre as causas mais frequentes.

Que tratamentos existem para corrigir o sorriso gengival?

Existem tratamentos que podem corrigir um sorriso gengival, devolvendo a sua harmonia.

A Gengivectemia é uma cirurgia simples que remove o excesso de gengiva do paciente. Efetuada com recurso a anestesia local, é retirado entre 1 a 2 milímetros de tecido, ajustando desta forma a proporção entre dentes e gengiva. A cicatrização pode levar entre 1 a 2 semanas.

Em alguns casos os dentes podem não ter erupcionado o suficiente e para além da remoção da gengiva pode ser necessário remover uma quantidade discreta de osso para expor o dente em toda a sua altura: alongamento Coronário.

Uma outra abordagem, não cirúrgica, passa pela modulação muscular. Para este fim usamos a Toxina Botulínica, mais conhecida por Botox. O objetivo deste tratamento é controlar os músculos que promovem a elevação do lábio durante o sorriso. O lábio não vai subir tanto durante o sorriso, logo, ocorre uma menor exposição da gengiva. Este tratamento não é definitivo e pode ser repetido a cada 4 a 6 meses.

A origem do sorriso gengival pode ainda estar associada à posição dentária e maxilar. Nestes casos o tratamento de eleição pode passar pela correcção ortodôntica, associada ou não à cirurgia ortognática.

Frequentemente acabamos por recomendar a combinação dos tratamentos para um melhor resultado.

Todos estes tratamento são benéficos, pois leva muitos pacientes a aumentarem a sua auto-estima. Ao alcançarem um sorriso mais harmonioso e natural, eles ficam mais confiantes e conseguem relacionar-se mais e melhor com as pessoas ao seu redor.

Mas atenção, gostaria de salientar que o sorriso gengival não é de todo um problema dentário, mas sim estético!

Não temos de encaixar todos num mesmo padrão. Portanto, a decisão do que fazer por ter um sorriso gengival é muito pessoal e deve ser tomada (como sempre digo!) de forma informada e consciente.

Não esquecer que o envelhecimento facial envolve uma diminuição natural e progressiva, da exposição gengival. Por isso, um sorriso gengival “moderado” pode até contribuir para a jovialidade da face!

Vejam o caso da modelo internacional Natalia Vodianova, ela tem um ligeiro sorriso gengival que não só lhe confere alguma graça, como lhe dá um ar super jovem. Gostos não de discutem mas fica a deixa para reflectir 😉

Até breve!

Partilhar