Implantes dentários: o que esperar?

Os implantes dentários são o tratamento de primeira escolha na reabilitação de dentes ausentes. É um procedimento previsível e seguro, permitindo a muitos pacientes a restauração da sua autoconfiança, bem como melhorias significativas na sua saúde e qualidade de vida.

A Implantologia, área da medicina que se dedica à reabilitação de dentes ausentes, tem evoluído rapidamente nos últimos anos. Este tratamento permite substituir um dente natural colocando um implante dentário no osso, que funcionará como a raiz que irá suportar o “novo dente”.

As causas que levam à perda de dentes são inúmeras: doenças da gengiva, cáries e traumatismos estão entre as causas mais comuns. Em caso de perda de um ou mais dentes o tempo é inimigo e o tratamento deve ser iniciado com a maior brevidade possível. A perda dentária desencadeia um “efeito dominó” sobre todas as estruturas vizinhas e, inevitavelmente, em toda a boca. Por exemplo, na falta dentes há uma tendência natural para os outros (os que estão ao lado e os seus antagonistas – do maxilar oposto) deslocarem-se para o espaço deixado pelo dente ausente, provocando grandes desequilíbrios das arcadas dentárias: recessão gengival, desequilíbrio oclusal (a forma como a maxilar superior e inferior se articulam entre si) e até mesmo graves problemas de articulação.

Os implantes dentários são muito semelhantes aos dentes naturais, são confortáveis, seguros e, em condições normais, podem durar toda a vida. As soluções para a substituição do dente ausente são variadas e sempre adaptadas a cada paciente.

Genericamente podemos dizer que são seis as fases que implicam a execução de um tratamento de implantes dentários:

Fase 1: Avaliação – procede-se a um exame clínico detalhado (saúde oral e clínica), tiram-se fotografias, radiografias e fazem-se moldes.

Fase 2: Plano de tratamento e preparação para a cirurgia.

Fase 3: Cirurgia – colocação do implante no osso maxilar ou mandibular; não é doloroso pois recorre-se à anestesia local ou, se o paciente preferir, à sedação.

Fase 4: Pós-cirúrgico – recuperação.

Fase 5: Tempo de cicatrização – após a colocação do implante no osso inicia-se um processo fisiológico em que o organismo produz osso novo que irá envolver o implante – osteointegração. Em média entre três a quatro meses.

Fase 6: Reabilitação definitiva – colocação das coroas dentárias definitivas, que são unidas ao implante através de conexões especiais.

Implantes dentários: um dente, vários dentes, reabilitação total

Dependendo de cada caso e até mesmo do paciente (as pessoas não são todas iguais!), os implantes dentários podem servir para substituir apenas um dente, vários dentes ou até mesmo a arcada completa (reabilitação total).

Carga imediata e carga deferida

O conceito de carga imediata (ou dentes no próprio dia) reflete os avanços tecnológicos que têm vindo a revolucionar o mundo da medicina dentária.

Este tipo de implante permite ao paciente colocar de imediato as coroas ou ponte provisória (prótese fixa), ainda que de forma temporária. Por norma, cerca de três a seis meses depois procede-se à substituição das coroas provisórias pelas definitivas.

A carga imediata é muitas vezes utilizada no implante do(s) dente(s) da frente por motivos estéticos, mas também nos casos da reabilitação da arcada dentária completa.

Na carga deferida o tratamento é feito em várias etapas. É necessário aguardar cerca de três a seis meses pela regeneração óssea, que depende de vários fatores: o próprio implante, a fisiologia do paciente, bem como o tipo de osso e a saúde do paciente. Durante esse período de espera o paciente usa próteses provisórias. Após este período, os novos dentes são confecionados e dentro de uma a duas semanas procede-se à colocação das coroas definitivas.

Vantagens dos implantes dentários

A reabilitação dentária conseguida através de implantes traz inúmeras vantagens, sendo as mais óbvias e importantes:

  • Melhoria estética: aspeto natural e similar aos dentes naturais;
  • Durabilidade: podem durar uma vida, mas para isso não se pode descurar as visitas regulares ao médico dentista e deve-se manter uma rotina de higiene oral cuidada;
  • Recuperação funcional, estética e fonética: a recuperação de dentes perdidos através dos implantes permite uma recuperação completa ao nível da fala, mastigação e imagem pessoal;
  • Conforto e confiança: em comparação com as prótese removíveis, os implantes dentários proporcionam uma maior estabilidade e é uma solução o mais próxima possível da dentição natural.

Para finalizar, nunca é demais relembrar que neste tipo de intervenções os pacientes que inspiram mais cuidados são os diabéticos, fumadores, pessoas com algumas doenças auto-imunes e pacientes que fazem medicação para a coagulação. No entanto, com o devido acompanhamento clínico, estes pacientes com uma condição mais delicada podem e devem realizar a sua reabilitação com implantes de uma forma absolutamente segura.

Até breve!

Partilhar