De pequenino também range o dentinho

Atualizado: 29 de Mai de 2018

O número de Pais preocupados porque ouviram os filhos a “ranger os dentes” durante o sono, tem vindo a crescer na minha consulta de odontopediatria.

Vou tentar deixar aqui algumas informações úteis para Papás e Mamãs com dúvidas:

Primeiro importa dizer que atualmente se acredita que o Bruxismo infantil é um fenómeno global e com uma manifesta tendência crescente na sociedade moderna em que vivemos.

Estima-se que até 40% das crianças venham desenvolver bruxismo. Por aqui já podem começar a depreender de que o vosso filhote não é um caso isolado!

Normalmente a primeira reação dos pais é de surpresa e a segunda é de preocupação.Apesar de a maioria das pessoas pensar que este fenómeno é exclusivo dos adultos, trata-se na realidade de um fenómeno muito frequente nos mais pequenos.

Mas afinal o que causa o bruxismo infantil?

De uma forma genérica classificamos as causas em duas categorias: as fisiológicas e as não fisiológicas. São geralmente as não fisiológicas que inspiram mais cuidados.

  • Causas fisiológicas: instabilidade oclusal, que resulta das alterações naturais na posição dentária e maxilar, decorrentes da erupção dentária e da perda dos dentes decíduos. Este fenómeno natural, pode, por si, justificar episódios de bruxismo. Nestas circunstâncias pode ser observado um desgaste dentário normal, particularmente no dentes decíduos caninos .
  • Causas não fisiológicas incluem: stress e ansiedade, distúrbios neurológicos, parasitoses intestinais, respiração bucal, alergias e até factores hereditários. Em casos mais graves, podemos observar aqui, níveis mais preocupantes de desgaste dentário.

E agora o que fazer?

Na consulta de odontopediatria vamos primeiro tentar estabelecer se se trata de bruxismo ou não. A informação que a família possa indicar sobre os hábitos de ranger de dentes e a observação clínica são fundamentais. Para um diagnóstico conclusivo contribui o aspecto desgastado no bordo dos dentinhos. Um desgaste fisiológico começa por se apresentar, inicialmente, nos caninos decíduos. Em alguns casos mais severos, observamos vários dentes com desgaste significativo. Nestas situações o tratamento é fundamental.

O sucesso é quase sempre determinado por um trabalho multidisciplinar, que envolve uma comunicação eficaz com outros cuidadores relacionados com os nossos pequenos pacientes, como é o caso do Pediatra.

E quanto às consequências do bruxismo nesta idade?

Felizmente, e na maioria dos casos, o desgaste dentário que resulta sobre a dentição não é grave, mas deve ser vigiado, e se necessário corrigido.

Muito importante é perceber se existe algum problema de saúde, físico ou emocional, que esteja na origem do bruxismo, de origem não fisiológica, e iniciar o seu tratamento o quanto antes.

Até breve!

Partilhar