8 coisas que deve saber antes de fazer preenchimento labial

O ácido hialurónico tem capacidade volumizadora e estimuladora de colagénio e, uma vez injetado de forma adequada, permite hidratar, volumizar e até esculpir os lábios. Ou seja, a sua função é “atrair” moléculas de água e preencher os tecidos. Paralelamente, estimula a produção local de colagénio, mas sobre isto falaremos noutro artigo!

Infelizmente circula muita desinformação sobre este tema e muitos dos meus pacientes de “primeira viagem” chegam à consulta muito receosos. Ouço muitas vezes expressões como “há muito tempo que quero fazer o preenchimento dos meus lábios, mas tinha medo”.

Surgiu assim a inspiração para redigir este pequeno guia com os 8 pontos críticos que todos os pacientes devem conhecer antes de avançar com o seu tratamento.

Receios e confusões à parte, o preenchimento labial bem indicado permite recuperar e melhorar o volume, a definição e até a arquitetura labial, harmonizando a face e proporcionando a devida moldura ao sorriso.

Atualmente, o preenchimento labial é realizado maioritariamente com a aplicação de ácido hialurónico nos lábios – muito cuidado com os implantes definitivos!!!

Mas, o que deve fazer (e também saber!) antes do procedimento?

1. Pesquise sobre o seu injetor

Esta é talvez uma das etapas mais importantes. A escolha de um bom especialista é indispensável para garantir o efeito pretendido. É ele que irá fazer a sua avaliação e qual o melhor plano para si. Importa que este profissional tenha conhecimentos clínicos detalhados da face e muito em particular da região perioral. Não será demais pesquisar, inclusive, qual é o seu gosto e sensibilidade estética.

De resto, o básico de qualquer pesquisa: verifique se se trata de um profissional de saúde com experiência e formação específica e, na dúvida, pode também verificar se está inscrito na respetiva Ordem (nos sites da OMD, OM e OE pode pesquisar os profissionais inscritos).

2. Defina os seus objetivos e expetativas

Faça o seu trabalho de casa e pesquise sobre o que quer fazer. Tenha sempre em mente que o preenchimento não serve apenas para “preencher”, mas também para hidratar, definir, esculpir e embelezar a boca. Existem diferentes tipos de técnicas para alcançar diferentes resultados. Os preenchimentos não são todos iguais!

3. Volumize pouco a pouco

Faça esta pergunta a si mesma: preciso de aumentar muito o volume dos meus lábios? Seja ponderada pois pode sempre ir acrescentando aos poucos. Na dúvida, converse com o seu injetor. Com toda a certeza a sua experiência vai ser uma ajuda preciosa na hora de tomar uma decisão.

4. Saiba os riscos

Apesar de esta ser uma intervenção não cirúrgica, não deixa de ser um procedimento médico. Informe-se sobre todos os riscos associados e não hesite em tirar todas as dúvidas com o especialista que irá realizar o preenchimento labial.

5. Cuidados pré e pós-procedimento

Saiba que nos dois dias anteriores à intervenção deve evitar ingerir anti-inflamatórios, álcool e alguns suplementos e vitaminas que aumentam o risco de nódoa negra.

No dia a seguir evite o exercício físico e a exposição solar (pode resultar em alguns nódulos).

6. Prepare-se para os efeitos secundários e resultados finais não imediatos

É certo que sofrerá alguns efeitos secundários, a maioria de forma de transitória. Falamos de edema (inchaço) e, possivelmente, nódoa negra.

A primeira semana pós-tratamento pode ser uma verdadeira montanha russa emocional. As alterações no lábio têm um impacto significativo sobre a forma como percecionamos a nossa face e o edema pós-tratamento pode ser angustiante. Por isso, ao escolher a data do seu tratamento agenda-o numa semana livre de compromissos sociais ou profissionais demasiado importantes. Respire fundo, porque se o preenchimento tiver sido bem realizado vai valer a pena!

Embora durante os primeiros cinco a oito dias ocorra a parte mais significativa da recuperação, os resultados definitivos são observáveis a partir da segunda semana.

7. Prepare-se para investir

Um bom profissional e um bom produto não são baratos.

Os ácidos hialurónicos com qualidade certificada, tecnologia de ponta e origem reconhecida não têm preço low cost.

Um profissional competente nesta área tem todo um curriculum Universitário de suporte, mais anos de experiência e formação em injetáveis estéticos. Muitas horas e quilómetros acumulados para participar em formação e treino, com custos financeiros e pessoais importantes.

Pense nisto e acredite: se for barato deve desconfiar!

8. É possível reverter os resultados

Se o resultado final não corresponder às suas expetativas ou se ocorrer alguma complicação, saiba que é possível reverter a situação.

Existe uma enzima chamada hialuronidase que pode ser injetada, promovendo a degradação do ácido hialurónico injetado.

Mas atenção, a dissolução do preenchimento também não deve ser encarada com demasiada ligeireza, nem como solução garantida para todos os problemas com preenchimento.

A administração de hialuronidase é um tratamento novo e, como tal, também não é isento de riscos e efeitos secundários. Se não for administrada atempadamente e com o protocolo adequado pode ser incapaz de resolver casos mais difíceis de complicações e/ou reações adversas.

No final da equação o preenchimento labial é um procedimento que pode melhorar muito a beleza facial, logo a auto-estima e a forma como comunicamos com o mundo. O senso estético do injetor também é um must para o sucesso.

Caso tenham outras dúvidas ou queiram esclarecer com mais pormenor algum dos tópicos acima abordados, sintam-se à vontade para me questionar, seja comentando o artigo ou enviando-me um email.

Até breve!

Partilhar